34.3 C
Três Lagoas
quarta-feira, 28 de fevereiro, 2024

Lições de uma empresária bilionária – por Cristina Boner

Aprendi um grande número de lições com Sara Blakely ao longo dos anos. Ela é uma empreendedora extremamente impressionante. Um indivíduo curioso e extrovertido. E uma mulher de negócios incrivelmente comprometida e perspicaz. Ela é um pouco inspiradora, compartilha Cristina Boner

16/11/2020 10h35
Por: Redação

Aqui estão cinco lições que aprendi com a empreendedora e proprietária da Spanx, Sara Blakely.

Tendo trabalhado brevemente como comediante e vendedora de fax porta a porta, ela construiu sua empresa de bilhões de dólares, a Spanx, do zero. Dos cinco mil que economizou quando começou, ela agora é bilionária.

Mas, além de ser uma mulher de negócios de sucesso, ela também é incrivelmente perspicaz. E aqui, quero compartilhar algumas das lições de Sara Blakely que aprendi pessoalmente. Você pode saber mais sobre tudo isso em uma palestra que ela deu com o Nordic Business Forum.

Vamos dar uma olhada – e espero que você aprenda algo sozinho.

1 – A importância do Thinktime

Uma das coisas que Blakely deixa muito claro é sobre a importância da criatividade em nosso dia-a-dia de negócios.

Com o surgimento da inteligência artificial e da automação, a criatividade será uma das habilidades mais importantes que teremos como humanos. Os computadores nunca serão capazes de fazer isso – fazendo o valor da criatividade disparar.

No entanto, um dos pontos de Blakely é que você não pode ser criativo a menos que tenha tempo para ser criativo, conta Cristina Boner. E devemos saber que, quando estamos estressados, nossas funções criativas diminuem dramaticamente.

O que ela sugere é cavar espaço – algo como eu chamo de tempo protegido – para pensar em novas ideias. Para resolver problemas e desafios de forma criativa. Para tirar espaço da gestão diária de uma empresa para refletir sobre produtos potenciais – ou qualquer outra coisa além disso.

Sua estratégia específica é bastante extrema. Morando a apenas dez minutos de seu escritório, ela se certifica de que seu trajeto leve pelo menos uma hora. Blakely reconhece que ela tem as melhores ideias no carro – e então se esforça para garantir que ela tenha o máximo de tempo possível no carro.

radioCacula/interna/m_middle_336x280_3

Você conhece minha preferência por andar sobre o carro. No entanto, o ponto é que você não pode ser criativo sem se permitir o espaço. Portanto, faça um ‘trajeto falso’ ou apenas saia e dê uma caminhada, mas certifique-se de ter tempo para ser criativo.

2 – Não se deixe deter pelo medo do fracasso

Uma das minhas lições favoritas de Sara Blakely tem sido seu ímpeto – e sua habilidade de superar o medo do fracasso (se é que o tem!).

Ao construir a Spanx, ela não tinha nenhum conhecimento de manufatura e nenhum conhecimento da indústria de roupas. Na verdade, parece que ela não tinha nenhum conhecimento real do que seria necessário para construir uma empresa de roupas para começar!

Porém, com real determinação e vontade de se comprometer em descobrir tudo o que precisava saber, ela colocou a empresa em uma trajetória de crescimento.

Cristina Boner conta que o que faltou em conhecimento inicial, ela compensou com uma visão clara do problema, os pontos fracos dos clientes que ela queria resolver – e uma capacidade ousada de aceitar críticas construtivas. Se um produto não estivesse certo, ela ouviria o feedback e continuaria fazendo as mudanças relevantes.

Uma de suas linhas importantes é “peça perdão, não permissão”. Os empresários tendem a ficar um pouco presos na fase de ideias de seus negócios – e se esforçam para entrar em ação, para lançar o produto.

Mas, como Blakely reconhece, se ela nunca tivesse agido, nunca teria feito as melhorias que seus clientes sugeriram. Cada chamada falha se tornaria uma base para uma melhoria futura. O obstáculo seria o caminho .

3 – Registre suas idéias – e isso significa todas elas

Blakely sempre foi alguém que tem muitas ideias. Ela sempre foi uma pessoa extremamente prolífica com ideias. No entanto, uma das lições mais importantes que aprendi com Sara Blakely é a importância de registrar essas ideias.

Isso é crucial. Imagine um problema que você resolve no seu negócio. Mas você não registra o que fez e o que levou ao problema. Não há chance de você ser capaz de impedir que aconteça novamente.

Ter registros de tudo é muito importante, conta Cristina Boner. Com um de meus clientes, estudamos as dúvidas que vêm de um departamento específico. Escrevemos tudo isso e fornecemos orientação por escrito na forma de um manual.

Se você registrar as soluções para os problemas que enfrenta, não terá que perder tempo considerando-as novamente no futuro. E sua equipe também saberá o que fazer.

Registrar suas ideias é um imperativo que deve se aplicar a todos os campos. Estamos falando de ‘momentos de inspiração’ – ideias para novos produtos, melhorias, soluções e processos. Idéias para maneiras de reduzir reclamações e melhorar a produtividade. E ideias de qualquer inspiração ao seu redor – ideias de concorrentes, outras indústrias ou mesmo pensamentos aleatórios.

Escreva tudo!

4 – Continue fazendo essa pergunta, ‘Por quê?’

Já falei sobre os Cinco Porquês – uma estratégia específica para chegar ao nível mais profundo dos problemas. Mas Blakely – como eu disse, um indivíduo incrivelmente curioso – aplica esse processo a tudo.

Ela conta a história de como uma vez entrou em seus fabricantes e os viu costurando um cós elástico em seu produto. Ela perguntou por que eles estavam fazendo isso. Para a resposta, ‘é assim que sempre fizemos’, ela perguntou por quê. E para isso, eles não tinham resposta.

Pedir desafia as suposições das pessoas – e faz com que elas, e você, questionem os fundamentos de seus próprios hábitos e comportamentos. E é tudo sobre como chegar às razões mais fundamentais para as coisas.

Como Einstein disse uma vez: “Se eu tivesse uma hora para resolver um problema, gastaria cinquenta e cinco minutos identificando o problema e depois 5 minutos resolvendo-o”. Isso é o que todos deveriam ser como nós.

5 – Seja você mesmo

Finalmente, uma das minhas maiores conquistas, seja você mesmo. Se você já assistiu a alguma entrevista ou segue Sara no Instagram, ela é sempre ela mesma. Seu negócio nasceu do desejo de resolver um problema que ela mesma vivenciava. E ela se esforça para continuar a resolver esses problemas para seus clientes.

Você ouve falar de pessoas o tempo todo tentando ter uma ideia de negócio, algo desconectado de quem elas são. Ela conhecia seu cliente e falou sobre o problema. E ela trabalhou muito para criar o melhor produto para resolver esse problema.

No trabalho, ela é ela mesma, afirma Cristina Boner, e ela construiu uma empresa de bilhões de dólares com uma cultura que reflete sua personalidade e motivação para ajudar seus clientes. Ela não está tentando ser outra pessoa ou emular as “qualidades” do que alguns consideram uma pessoa de negócios.

Isso também levanta um segundo ponto: ela cuida de si mesma para estar no seu melhor – pessoal, profissional e criativamente. O que no mundo atormentado pelo esgotamento de hoje é muito revigorante de ouvir!

Definitivamente, alguém com quem aprender e ‘tirar algumas páginas de seu livro’.

Deu na Rádio Caçula? Fique sabendo na hora!
Siga os nossos canais no Whatsapp (clique aqui) ou no Google Notícias (clique aqui)

Veja também

Operação contra acusados de matar e carbonizar casal em 2023 é realizada pela Polícia Civil

Suspeitos de matar Dênis Antônio de Souza Queiroz (31) e Leidy Jazmin Rodrigues (21) foram presos em Bauru durante operação entre as polícias de MS e SP.

Organização e logística garantem entrega de uniformes e kits aos alunos

A semana está sendo marcada pela sequência ao trabalho de entrega de kits escolares e de robótica, uniformes, conjuntos escolares, lousas digitais e kits...

Saúde promove ação de combate ao Aedes Aegypti no Centro

PREFEITURA TRÊS LAGOAS - Na luta contra a dengue, a Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promoveu, nesta...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS LIDAS