10.5 C
Três Lagoas
quinta-feira, 11 de agosto, 2022

Três Lagoas, a capital mundial das ruas escuras

16/01/2016 – Atualizado em 16/01/2016

Na base da administração “Paz e Amor”, reclamações ficam mais constantes: Iluminação pública, lampadas apagadas, falta de remédios, buracos…

Por: Neto/Redação

Dentre as reclamações constantes da população de Três Lagoas (MS), destacam-se a falta de remédios nos postos de saúde, ruas esburacadas, cidade suja e agora começa a se acentuar a péssima qualidade da Iluminação pública em todos os bairros e área central da cidade que continua sem solução.

A população tem ultimamente dito: Três Lagoas está às escuras, a população se sente insegura, acidentes acontecem, veículos quebram em buracos ocultos pela falta de lâmpadas em funcionamento. De capital da celulose estamos passando para a capital das ruas escuras

Em reunião no dia 9 de dezembro de 2015, os vereadores e representantes sindicais de diversas categorias se reuniram com José Carlos Ferrarezi, gerente de distribuição; Luis Antônio Porta, gerente de operação e Fábio Costa, consultor, representantes da Elektro, concessionária responsável na época pelo fornecimento de energia do Município, para cobrar explicações sobre os serviços, principalmente iluminação pública.

REUNIÃO DA PROMESSA NÃO SURTIU EFEITO

Na ocasião os representantes da concessionária de energia Elektro, disseram que os problemas da iluminação pública seria priorizado na área central, solucionando assim, a escuridão nas principais avenidas, exceto nos canteiros centrais, que são de responsabilidade da Prefeitura e, seriam estabelecidas prioridades de atendimento, para os outros setores (bairros).

Eles (os representantes da Elektro) ainda enfatizaram que, com a retomada do serviço de iluminação pública – assumido pela concessionária desde julho de 2015, após a cidade ganhar a liminar – tinham uma demanda de serviços muito grande e não era foi possível zerar essas falhas a curto prazo. Disseram que trariam equipes de outras áreas de atuação para a cidade, mas que mesmo assim ainda precisariam de um tempo para normalizar o serviço das ruas.

Passados mais de trinta dias dessa reunião, os problemas de iluminação pública continuam. Exemplo desta situação de descaso da concessionária e de nenhuma fiscalização da administração municipal é a escuridão na Rua Munir Thomé, no Bairro Colinos, onde moradores relatam que há aproximadamente doze meses, as lâmpadas nos postes estão queimadas e que acionaram a Elektro pelo 0800 por diversas vezes e nada foi resolvido até a presente data.

“A gente liga para a Elektro, eles dizem que as lâmpadas serão trocadas, fica só na promessa e a cidade continua na escuridão” disse um morador.

INÉRCIA GOVERNAMENTAL

Da mesma forma da falta de cumprimento por parte da empresa se assemelha as do Poder Executivo Municipal, que não se prononcia a respeito, que não aciona o Departamento Juridico da Prefeitura e não pede o cumprimento da sentença prolatada do valor das multas diárias acumuladas.

A Prefeita Márcia Moura, na sua inércia governamental, não tem aproveitado o novo momento em que hoje os novos donos da concessão de exploração de energia elétrica de Jupiá e Ilha Solteira passou para um grupo chinês. Essa pendência jurídica seria um dificultador que facilitaria o cumprimento da transferencia das usinas tendo como consequencia imediata a solução da iluminação elétrica.

Prefeita Márcia Moura

Uma das rua no centro da cidade às escuras

Comentários do Facebook

MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo Protegido