30.2 C
Três Lagoas
quinta-feira, 28 de outubro, 2021

Resolutividade de homicídios chega a 89% em MS, maior índice do país

Mato Grosso do Sul é o estado que mais esclareceu homicídios dolosos no Brasil, segundo a pesquisa Onde Mora a Impunidade 2021. O Estado teve percentual de esclarecimento de homicídios de 89%, seguido por Santa Catarina (83%) e Distrito Federal (81%). A média nacional foi de 44%.

Os dados analisados pela pesquisa referem-se aos homicídios dolosos, aqueles com intenção de matar, ocorridos em 2018 e esclarecidos até 2019. É o maior percentual registrado por MS desde a primeira publicação da pesquisa, em 2017.

Resolutividade de homicídios chega a 89% em MS, maior índice do país
Média histórica de resolutividade de homicídios dolosos em MS. Foto: Divulgação/InstitutoSouDaPaz

O estudo aponta como avanço na resolutividade dessa categoria de crime nos estados a capacidade investigativa de esclarecimentos no mesmo ano da morte. Dessa forma, a pesquisa conclui que quanto mais tempo demora a atividade investigativa, mais difícil fica a identificação de autores, gerando maior possibilidade de o inquérito ter como destino o arquivamento.

Onde Mora a Impunidade também aponta que nos países das Américas os homicídios são frequentemente ligados ao crime organizado e gangues violentas. Além disso, a maioria deles são decorrentes do uso de armas de fogo.

Pesquisa

Onde Mora a Impunidade é um levantamento realizado pelo Instituto Sou da Paz desde 2017. Os pesquisadores solicitam aos Ministérios Públicos e aos Tribunais de Justiça das 27 unidades federativas do país informações sobre homicídios dolosos que geraram ações penais.

Na edição de 2021, foram solicitados dados de homicídios que aconteceram em 2018 e esclarecidos até 2019, por meio da Lei de Acesso à Informação. De todos os Estados do Brasil, 17 conseguiram informar com precisão os dados que permitissem que o Instituto realizasse o cálculo do índice de esclarecimento de homicídios, cuja taxa nacional foi de 44%.

Confira o estudo completo aqui.

Informações do site Midiamax

Comentários do Facebook

MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS LIDAS