28.1 C
Três Lagoas
quarta-feira, 8 de dezembro, 2021

DIA “D” MULTIVACINAÇÃO – Unidades de Saúde de TL atenderão a população da 8h às 16h para atualização da carteirinha

O Dia “D” da Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da Caderneta de Vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade será realizado no próximo sábado (16), das 8h às 16h. A ação acontece em parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, Rotary Club Três Lagoas Cidade das Águas, Rotary Clube Três Lagoas Costa Leste e Rotary Clube Três Lagoas, em todas as Unidades de Saúde da Família (USF).

A Campanha está sendo realizada desde o dia 1º de outubro e segue até o dia 29. No entanto, o Dia “D” de divulgação e mobilização nacional é previsto no Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde e se fez necessária devido à baixa cobertura em todas as rotinas realizadas de forma gratuita pelo Serviço Único de Saúde (SUS).

Para realizar a atualização vacinal do público-alvo, o responsável deve levar a criança ou adolescente até uma das Unidades de Saúde da Prefeitura de Três Lagoas portando Cartão SUS (do paciente), bem como a Carteira Nacional de Vacinação.

Além da vacinação nas USFs, a SMS e as instituições parceiras farão uma ação alusiva ao Dia “D” na Praça Senador Ramez Tebet, no centro de Três Lagoas, para ressaltar a importância da vacinação. “No local, não teremos vacinação, o movimento é no sentido de chamar a atenção dos pais e responsáveis em levar seus filhos para vacinar”, explicou a coordenadora de Imunização da SMS, Humberta Azambuja.

CONSEQUÊNCIA DE NÃO VACINAR CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Além da questão de saúde da própria criança e adolescente que, sem a devida imunização, está exposto a diversas doenças que podem até levar à morte ou ter sequelas por toda a vida, a Lei  Nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, prevê o parágrafo primeiro de seu artigo 14, traz que “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”, além disso essa determinação do ECA está relacionada com uma questão de responsabilidade social coletiva.

Outro ponto, é que não caso de não vacinação de seus filhos, a atitude ilegal pode causar danos a terceiros. Não se tratando de um direito do pai em escolher, mas do direito da criança de receber a vacina, ou seja, os pais não podem dispor desse direito do filho.

Juristas alegam, ainda, que os pais que se recusarem, por motivos injustificados, a vacinar seus filhos, no tocante aos casos recomendados pelo Ministério da Saúde, podem ser responsabilizados legalmente, se houver uma denúncia de maus tratos ou de negligência.

Comentários do Facebook

MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS LIDAS