24.2 C
Três Lagoas
quarta-feira, 17 de agosto, 2022

Agosto Lilás é tema do Programa Linha Direta Com a Notícia

TRÊS LAGOAS (MS) – Chegamos em mais um mês de agosto, mês denominado Agosto Lilás, que tem como objetivo ser o mês de enfrentamento à violência contra a mulher.

Neste sentido, o Programa Linha Direta Com a Notícia, comandado pelo Diretor de Jornalismo da Caçula FM, Reginaldo Ferreira, recebeu nesta segunda-feira (1º), a Coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) e a Rafaella Marques e a também servidora do CRAM, Elizabete Moreira.

As servidoras relataram que os números de violências não diminuíram, no comparativo de 2021 e 2022 e os números mantêm-se altos, uma vez que os serviços de proteção estão mais divulgados, fazendo com que as mulheres vítimas de violência procurem o CRAM.

De acordo com a Coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), Rafaella Marques os profissionais não tem como objetivo provocar separação ou divórcio, “nosso objetivo é fortalecer a mulher, empoderar, fazer com que ela não aceite a agressão e apresentamos o quê é uma relação saudável”, explicou Rafaella.

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), por meio do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência “Halley Coimbra Ribeiro Junqueira” (CRAM) deu início no último sábado (30) às ações da Campanha “Agosto Lilás” em Três Lagoas, um mês de conscientização referente à violência contra a mulher.

SOBRE A CAMPANHA

Agosto Lilás é uma campanha de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, instituída por meio da Lei estadual nº 4.969/2016 e da Lei Municipal nº 3.340/2017, com o objetivo de intensificar a divulgação da Lei Maria da Penha, sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre o necessário fim da violência contra a mulher e divulgar os serviços especializados da rede de atendimento à mulher em situação de violência e os mecanismos de denúncia existentes.

Somente de janeiro a junho de 2022 o CRAM já realizou aproximadamente 500 atendimentos às mulheres em situação de violência.

O trabalho articulado entre a rede de atendimento à mulher composta por CRAM, Coordenadoria da Mulher, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Delegacia da Mulher, PROMUSE, Defensoria Pública, Ministério Público, Poder Judiciário, Secretaria Municipal de Saúde (SM), Educação e Cultura (SEMEC), se mostra muito valioso no enfrentamento à violência contra a mulher.

As ações tiveram início no dia 30/07/22 e se estenderão durante todo o mês de agosto, com panfletagens, palestras informativas e um Wokshop voltado para os profissionais da educação da rede pública e privada, com o objetivo de capacitá-los para que possam trabalhar o tema junto aos alunos.

Comentários do Facebook

MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo Protegido