PECUÁRIA

Brasil produz 7% do leite no mundo, segundo pesquisa

Levantamento detalhado da atividade foi realizado entre 2014 e 2017

 
 

24/12/2018 15h57
Por: Deyvid Santos

 
 
Brasil é o 5º produtor mundial de leite - Foto: Arquivo Correio do Estado Brasil é o 5º produtor mundial de leite - Foto: Arquivo Correio do Estado

Uma pesquisa realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), demonstrou que a produção de leite brasileira é responsável por cerca de 7% da matéria-prima produzida no mundo, colocando o país na 5ª posição mundial em produção.

O resultado teve como base a compilação de dados coletados no período entre 2014 e 2017, em propriedades rurais dos seguintes estados produtores: Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Goiás, Santa Catarina, São Paulo, Rondônia, Ceará e Rio Grande do Norte.

Conforme o documento, Minas Gerais é o maior estado produtor, com 27% da produção nacional, seguido dos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás, Santa Catarina, São Paulo e Bahia, todos com média anual superior a um bilhão de litros.

DETALHES PESQUISA

Ainda de acordo com a publicação, a captação de leite é menor entre abril e junho, porém, praticamente constante durante todo o ano.

"O produtor, ao tomar a decisão de captar, conhece os impactos do escoamento, do mercado, os custos de produção e o comportamento dos preços do leite e insumos utilizados no processo produtivo", explica o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Cleverton Santana.

Com relação ao comportamento dos preços recebidos pelos produtores, no período analisado, o predomínio de preços acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido em números-índices, indica que houve mais perdas do que ganhos reais.

"Em geral, os produtores do Rio Grande do Norte, de Minas Gerais e de São Paulo recebem preços melhores do que os das demais Unidades da Federação", afirma Cleverton. "De acordo com nossa análise, isso ocorre em função das condições de oferta e consumo em cada um desses estados, sendo que os menores preços recebidos foram dos produtores de Rondônia".

Informações do site Correio do Estado

Envie seu Comentário