DENGUE

Bloqueio químico continua nos bairros com maior índice de casos suspeitos

Carro do "fumacê" continua percorrendo principais ruas dos bairros pela manhã e no início da noite.Sub-título

 
 

03/01/2019 17h01
Por: Gabriele Benati

 
 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio das equipes do Setor de Endemias e Controle de Vetores da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, continua intensificando o controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti com aplicação de inseticida em vários bairros.

A borrifação, popularmente conhecida por "fumacê", vem sendo feita, pela manhã e no início da noite, desde quarta-feira (02) e se estendeu nesta quinta-feira (03), nos seguintes bairros: Jardim Oiti, Jardim Progresso, Jardim Atenas, Alto da Boa Vista, Vila Piloto, Jardim dos Ipês, Set Sul, Jardim Angélica, Santos Dumont e Santa Terezinha.

A definição destes bairros para a sequência do processo de bloqueio químico, através da borrifação, levou em conta o critério do registro dos altos índices de casos suspeitos de Dengue, nas últimas semanas, nestas citadas localidades urbanas.

Seguindo as Diretrizes Nacionais do Ministério da Saúde, no bloqueio químico, vem sendo usado o sistema de borrifação do produto Malathon, misturado com água e não inflamável, pelo sistema de bombas Ultra Baixo Volume (UBV), acopladas em veículos da frota da SMS.

A equipe de Promoção de Saúde e dos Agentes de Endemias da SMS orientam a população a abrir as portas e janelas de suas casas para que a borrifação obtenha resultados, eliminando as fêmeas dos mosquitos adultos, que costumam entrar nas residências nesses horários.

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES

O produto, usado pela Vigilância em Saúde e Saneamento da SMS de Três Lagoas, seguindo as normas do Ministério da Saúde, não oferece perigo às pessoas, mas é necessário seguir orientações importantes para a obtenção de melhores resultados na eliminação dos mosquitos e também para evitar algum eventual dano às famílias ou aos animais de estimação.

É importante cobrir todos os alimentos e não os deixar expostos, pelo menos durante a borrifação até uma hora e meia depois. É recomendado também cobrir as gaiolas de passarinhos de estimação e aquários de peixes ornamentais.

É raríssimo, mas, se por acaso as pessoas apresentarem qualquer tipo de reação alérgica ao produto devem procurar imediatamente o médico.

Informações Assessoria de Imprensa