17/03/2017 11h37

SIG prende mãe, filho e amigo acusados de assassinar irmão de policial em Três Lagoas

Os investigadores trabalham na hipótese do crime ter sido motivado por dívidas de droga entre os envolvidos

 
Por: Rayani Santa Cruz
 
 
Os três foram presos acusados do homicídio de Lucas Domingos. Foto: Rádio Caçula Os três foram presos acusados do homicídio de Lucas Domingos. Foto: Rádio Caçula

Publicidade

Uma família inteira foi presa noite desta quinta-feira (16), por volta das 22h no Jardim Oiti, acusados de participação em um homicídio ocorrido no dia 12 de março no mesmo bairro em Três Lagoas. Na ocasião Lucas Domingos Dias Junior de 38 anos, foi encontrado morto em uma calçada com diversas perfurações de arma de fogo pelo corpo.

Três acusados sendo Felipe Alisson de Oliveira de Lima de 23 anos, a sua mãe Ana Claudia Candida de Oliveira de 43 e uma amigo da dupla identificado como Daniel Rodrigues dos Santos de 24 anos, foram presos por investigadores do SIG- Setor de Investigações Gerais junto ao Serviço de Inteligência da PM, após denúncias anônimas.

O crime- versão dos acusados

Em entrevista exclusiva a Rádio Caçula, Ana Claudia disse que no dia do crime, ela estava consumindo bebida alcoólica em um bar perto de sua casa. Ela afirmou que Lucas Domingos, estava no mesmo estabelecimento junto à outra mulher e no momento em que ela foi embora, foi seguida pelo casal e a tal acompanhante de Lucas, teria pedido para usar o banheiro de sua residência.

A acusada explicou ainda que deixou a mulher adentrar a casa, momento esse em que Lucas Domingos teria tentado violenta-la. Ana Claudia afirmou que ele rasgou sua roupa e tentou domina-la, foi quando Daniel Rodrigues dos Santos, que é amigo da família chegou no local e presenciou a cena.

Ana Claudia, afirmou que o amigo tentou defende-la, sacando um revólver atirando por cinco vezes contra Lucas. Depois disso, a tal namorada da vítima fugiu da casa tomando rumo ignorado. Com o barulho causado Felipe Alisson que estava dormindo, acordou e acabou ajudando a mãe e o amigo a limparem a casa e arrastarem o corpo até a Viela O, a cerca de 30 metros da casa.

Os três alegaram que após o crime, fugiram para a cidade de Selvíria onde passaram uns dias, seguindo para a cidade de Ilha Solteira-SP e finalmente retornando para a casa em Três Lagoas.

Em relação a arma do crime, um deles disse que dispensou no rio Paraná, enquanto outro afirma ter jogado a mesma no rio Sucuriú, entrando em contradição.

Linha Investigatória da Polícia

Em conversa com o Delegado responsável Ailton Pereira, foi dito que a primeira hipótese de que a vítima foi assassinada pelo fato de ser irmão de um policial militar fora descartada. Assim como a polícia não acredita na versão falada pelos acusados.

A linha investigatória trabalha neste momento com a hipótese de que Lucas Domingos estaria com dividas de drogas, já que os três acusados tem diversas passagens inclusive por tráfico de drogas.

Existe a possibilidade de uma terceira pessoa estar envolvida no homicídio.

Trabalho da Perícia

O Perito Romeu Pereira da Silva Rosa, explicou que o produto luminol (substância líquida para descobrir marcas de sangue), foi utilizado na residência dos suspeitos, onde foi constatado diversas marcas de sangue. Inclusive um pano que foi utilizado na limpeza da casa e uma marca de perfuração causada por arma de fogo.

Ao que tudo indica, ele foi morto com tiros a queima roupa, com cinco disparos sendo três na cabeça, e outros dois pelo corpo. Depois de morto Lucas foi arrastado de dentro do imóvel até a calçada da Viela O, numa distancia de 38 metros.

Os três envolvidos foram apresentados na manhã desta sexta, e posteriormente foram encaminhados ao presídio de segurança média e presídio feminino de Três Lagoas.



Envie seu Comentário