05/10/2017 17h17

Quadrilha acusada de organizar ‘tribunal do crime’ é desarticulada durante operação Sintonia

 
Por: Ana Carolina Kozara
 
 

Publicidade

O assassinato de Deivid Almeida de Oliveira, 20 anos, conhecido como "Caveirinha" foi o estopim para que as forças policiais de Três Lagoas desarticulassem uma organização criminosa, que agia dentro e fora dos presídios.

Durante as investigações foi apurado que Deivid foi submetido ao tribunal do crime e sua morte determinada durante um vídeo conferência realizada entre os lideres da organização.

O "julgamento" de Caveirinha aconteceu depois que o jovem foi acusado de tentar abusar sexualmente de uma adolescente de 15 anos, moradora do Residencial Novo Oeste. A garota seria namorada de um membro do PCC, preso na Penitenciária de Segurança Média (PSM), e filha da "palavra" do condomínio Andorinha.

De acordo com o delegado Ailton Pereira, responsável pela investigação, a adolescente contou para sua mãe que teria sido vítima de uma tentativa de estupro, então as duas entraram em contato com o presidiário que acionou os outros membros da organização criminosa e determinaram que "Caveirinha" seria morto.

A emboscada

Assim que a sentença de morte de "Caveirinha" foi dada, uma emboscada foi articulada para que o jovem fosse levado para uma casa, onde o crime aconteceria.

O responsável pelo transporte da vítima e dos autores da execução até o local do crime foi o sindico do condomínio e candidato a vereador nas eleições de 2016.

"Caveirinha" foi levado até a casa onde uma nova conferencia foi realizada e a morte do jovem foi confirmada.

Um adolescente de 17 anos, com diversas passagens pelo crime de tráfico de drogas, foi o responsável por degolar Deivid,

Depois de morto, o corpo do jovem foi enrolado em tapetes e cobertas e transportado até a Rua do Professor, no bairro Jardim das Violetas, onde foi encontrado por populares na manhã do dia 19 de julho de 2017.

** A operação**

Após meses de investigação conjunta entre a Polícia Civil e o setor de inteligência da Polícia Militar, foi possível identificar os envolvidos no crime. Onze mandados de prisão e apreensão foram expedidos pela 1ª Vara criminal de Três Lagoas e todos foram cumpridos nesta quinta-feira (5) durante a operação denominada Sintonia.

No total foram detidos oito pessoas e apreendidos três adolescentes acusados de participarem da execução. Ainda durante a operação foram presas duas pessoas em flagrante pelo crime de tráfico do drogas.

De acordo com o delegado regional Rogério Makert, participaram da operação oito delegados, 20 agentes da Polícia Civil, dois escrivães, três oficiais da Polícia Militar, 21 membros da Rotai (Rondas Ostensivas Táticas do Interior), 14 policiais da Rádio Patrulha além da equipe de inteligência.

Outros Crimes

De acordo com o Delegado Ailton Pereira, durante as investigações a equipe descobriu que a quadrilha planejava cometer outros homicídios na cidade e ainda tinham o plano de atacar Policiais Militares, Civis e Agentes Penitenciários.

Pente Fino

Durante a operação foi realizado um pente fino no Presídio de Segurança Média (PSM) onde os policiais militares localizaram drogas e celulares que foram apreendidos e entregues na delegacia.

Balanço da operação

O Delegado Regional Rogério Makert considerou a operação positiva, sendo realizada com a contribuição do ministério público e o aval do poder judiciário. Todos os mandados foram cumpridos e nenhum incidente negativo foi registrado.



Envie seu Comentário