11/01/2017 - Atualizado em 11/01/2017

PCC teria dado ordem para eliminar desafeto de facção vinda do Sul do país

A briga entre facções pode ter causado a execução de funcionário dos Correios em Três Lagoas

Por: Rayani Santa Cruz
 
 
Matheus Campos Silva de 18 anos, possui extensa ficha criminal. Foto: Rádio Caçula Matheus Campos Silva de 18 anos, possui extensa ficha criminal. Foto: Rádio Caçula

Publicidade

A Polícia Civil junto ao Setor de Investigações de Três Lagoas, trabalham veemente com a hipótese de que o auxiliar administrativo Alfredo Avelino de Souza de 39 anos, tenha sido executado por engano, e que a ordem partiu da facção criminosa PPC (Primeiro Comando da Capital), de Três Lagoas.

De acordo com informações do Delegado da 3° DP, após ouvir o depoimento de Matheus Campos Silva (18), preso na tarde de ontem (11), foi possível verificar que existe no município uma briga entre facções criminosas. Matheus Campos contou a Polícia que foi batizado no PCC, no dia 03 de janeiro de 2017 e teve como sua primeira "missão", a incumbência de matar Everson Souza, conhecido como "Didio" e irmão da vítima fatal.

Conforme as informações, Everson Souza pertenceria a outra facção de nome PCG- Partido do Comando do Rio Grande do Sul, o que teria despertado a ira dos lideres do PCC de Três Lagoas, "Didio" possui passagem por tráfico de drogas, na cidade de Santa Catarina.

O suspeito possui uma extensa ficha criminal, e quando menor foi acusado de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, receptação e homicídio. Ele afirmou aos investigadores que passou na frente da bicicletaria e morada de Everson por diversas vezes pois não conhecia o alvo pessoalmente.

Morto por engano

Segundo a Polícia, Matheus disse que apenas conduziu a moto shineray, já apreendida e o colega de apelido "Neguinho" foi quem efetuou os disparos com a pistola 380.

O suspeito afirmou que a vítima Alfredo Avelino, sentou no banco que era de costume o alvo usar, e por isso, no momento da adrenalina acabou sendo morto por engano. Ao perceber que haviam matado a pessoa errada a dupla evadiu do local. O atirador não foi encontrado até o momento, assim como a arma utilizada no crime.

O outro suspeito de envolvimento no crime João Paulo Liberato Miranda, 20 anos, é irmão de criação de Matheus e continua preso. A Audiência de Custódia do acusado acontece às 13h desta quarta-feira (11).

A ordem de execução teria partido de lideres do PCC, do Presídio de Segurança Média de Três Lagoas, e no momento em que o país atravessa uma insatisfação e temerosidade em relação a segurança das penitenciárias, o fato deixa tanto a família da vítima com medo quanto os moradores três-lagoenses.



Envie seu Comentário