FATALIDADE

Acidente entre carreta e bicicleta mata criança de 4 anos em Andradina

Criança de 4 anos morreu depois que a mãe bateu a bicicleta contra a lateral direita da carreta e menina caiu entre eixos traseiro

 
 

11/02/2019 15h45
Por: Sizenando Mendes

 
 
Polícia Militar preservou o local para o trabalho da perícia técnico/científica Polícia Militar preservou o local para o trabalho da perícia técnico/científica

ANDRADINA – A pequena Maria Fernanda Rodrigues Ribeiro, de quatro anos, morreu na manhã desta segunda-feira (11), após se envolver em um acidente no cruzamento da Av. Rio Grande do Sul com rua Espírito Santo, em um semáforo, quando estava a caminho da escola, seguindo na garupa da bicicleta conduzida por sua mãe Darlene Ribeiro dos Santos, 25, residentes no bairro Gasparelli. A menina ainda chegou a ser socorrida pelos bombeiros até a UPA – Unidade de Pronto Atendimento, mas não resistiu aos ferimentos, indo a óbito. A Polícia Militar registrou o caso como homicídio culposo (sem intenção), no 1º DP.

A fatalidade que abalou a cidade de Andradina aconteceu pouco depois das 7h, quando mãe e filha seguiam de bicicleta na cor azul, com destino a EMEI – Escola Municipal de Ensino Infantil Olavo Alves Carneiro (Polo Josepha Carreira), localizada ao lado do CAMO – Centro de Atendimento Médico Odontológico do bairro Benfica, localizada na Av. Monsenhor Victor Assuity.

Quando estavam no cruzamento da rua Espírito Santo com Av. Rio Grande do Sul, a mulher foi ultrapassar pela direita uma carreta Volvo bitrem, na cor branca, placa de Três Lagoas/MS, carregada com 50 toneladas de celulose. A fatalidade estava armada.

O motorista Francisco Antônio, 58 anos, morador no Loteamento Nova Canaã, também do bairro Gasparelli, saía justamente naquele horário pela rua Espírito Santo e iniciava conversão à direita para acessar a Av. Rio Grande do Sul e depois a rodovia Euclides Oliveira Figueiredo, a "rodovia da Integração" e, devido o ângulo que a carreta já estava, não avistou mãe e filha na bicicleta.

Quando já fazia a conversão, a mulher bateu a bicicleta contra o lado direito da carreta, tendo a mãe caído para um lado e a criancinha caiu sobre os dois últimos eixos traseiros do bitrem.

Um frentista de um posto de gasolina localizado naquele cruzamento gritou para ele parar. Já era tarde demais. Os pneus traseiros da carreta bateram no tórax da criança caída no asfalto. Ela sofreu ainda fratura exposta do braço direito. Socorrida ainda com vida até a Upa, sofreu parada cárdio-respiratória, indo a óbito. Ela pode ter sofrido múltiplas fraturas de costela.

O motorista da carreta Francisco Antônio estava muito abalado e disse no 1º DP que "só ouviu o grito do frentista, parando de imediato, evitando que os pneus esmagassem o corpo da criancinha. Nada pude fazer para evitar essa tragédia", disse.

Esse era o primeiro dia de serviço de Francisco na nova empresa de Três Lagoas/MS e a carga de celulose tinha como destino o porto de Santos, no litoral paulista.

Informações da Agência Mil Notícias. Fotos: Divulgação