BOM EXEMPLO

Iniciativa da Fibria difunde educação ambiental para mais de mil alunos em cinco cidades de MS

Ação envolveu 63 professores de 16 escolas com abordagem didática e divertida

 
 

26/12/2018 09h16
Por: Laís Eger Penha / Por Assessoria de Imprensa

 
 

A Fibria, empresa brasileira líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, promove ações voltadas à conscientização sobre a importância da conservação do meio ambiente e sustentabilidade. Em Mato Grosso do Sul, o JornalEco, periódico desenvolvido pela Fibria que aborda questões ambientais de forma didática e divertida em sala de aula, envolveu 1.029 alunos e 63 professores em cinco cidades durante este ano.

A publicação, editada pela Fibria há 13 anos, que chegou à 102ª edição, foi distribuída em 2018 em 16 escolas públicas de Três Lagoas, Água Clara, Brasilândia, Selvíria e Ribas do Rio Pardo. O município de Ribas do Rio Pardo recebeu pela primeira vez a iniciativa, na Escola Estadual Arlindo Luz, e outras duas escolas também foram beneficiadas a partir deste ano: Escola Municipal Assentamento Mutum (Brasilândia) e Escola Municipal Presidente Médici (Três Lagoas).

"O JornalEco é uma ferramenta eficiente para a difusão de ensinamentos sobre conservação do meio ambiente e práticas sustentáveis, pois une conteúdo relevante em uma linguagem acessível para as crianças. O material serviu de incentivo para a realização de inúmeras atividades sugeridas pelos professores, contando com participação ativa dos alunos, que puderam aprender de forma descontraída", disse o coordenador de Meio Ambiente Florestal da Fibria, Renato Cipriano Rocha.

Entre os temas estudados e expostos em palestras para os alunos do 4º ano do ensino fundamental estão os biomas brasileiros, conservação de solo, florestas, sociedade sustentável, tratamento de esgoto, alimentação saudável, e também, algumas atividades práticas, como trilhas ecológicas, hortas, confecção de brinquedos com materiais recicláveis, elaborações de histórias em quadrinhos, dentre outros.

Para a professora Janaína de Araújo, da Escola Estadual Afonso Francisco Xavier Trannin, localizada no distrito de Arapuá, em Três Lagoas, receber o informativo – é um momento especial para os educadores e estudantes. "Sempre recebo o JornalEco curiosa para identificar os assuntos abordados. Os tópicos apresentam ligação entre si, o que favorece o desenvolvimento da linha de raciocínio e desenvolve o senso de responsabilidade pelo meio ambiente. Sem dúvida, é uma ferramenta muito boa! A curiosidade deles fica tão aguçada que por vezes tenho que pesquisar para retornar com as respostas. Eles também me informam sobre as relações que fazem com as outras professoras e suas disciplinas, momento que sempre enriquece a aula. Os alunos ficam bem contentes quando vamos trabalhar o JornalEco. Eles aprendem brincando. Quero continuar ‘jornalendo’ em 2019", destaca.

Em Brasilândia, os resultados obtidos com apoio do jornal também foram celebrados pelos educadores. "Foi gratificante o envolvimento de todas as professoras das quatro turmas. Quando a coordenação visitava as salas, os alunos já sabiam sobre assunto, pois cada um portava seu JornalEco na bolsa. Os depoimentos do "fazer juntos" e o compartilhamento com famílias foram relatados por todos. Foi bem interessante. Até as merendeiras ajudaram a separar o resíduo orgânico para colocarmos em nossa composteira", conta Joana Nogueira, coordenadora da Escola Municipal Antônio Henrique Filho.

Envie seu Comentário