AGRICULTURA

Suzano amplia apoio a agricultores familiares de Mato Grosso do Sul

Empresa levará o método de "sistema agroflorestal" no manejo de terras

para 181 famílias de agricultores até o final do ano

 
 

14/03/2019 09h57
Por: André Rodrigues

 
 
Foto: Assessoria à Imprensa - Suzano Foto: Assessoria à Imprensa - Suzano

A Suzano vai ampliar o apoio a agricultores familiares em Mato Grosso do Sul, incentivando a utilização dos SAF (Sistemas Agroflorestais) em 15 associações dos municípios sul-mato-grossenses de Três Lagoas, Brasilândia, Selvíria e Santa Rita do Pardo. O objetivo é atender 181 famílias até final de 2019.

O SAF proporciona o aumento da produção, pois na sua implantação combina espécies arbóreas (frutíferas e/ou madeireiras) com cultivos agrícolas e/ou criação de animais, de forma simultânea ou rotativa. Além disso, o sistema também promove benefícios ecológicos em função da conservação dos recursos naturais, tornando possível a produção de diferentes espécies e incentivando agricultores na recuperação de áreas florestais.

Técnicos da área de desenvolvimento social da Suzano e produtores rurais da comunidade Santana/ Santa Emília, em Brasilândia, se reuniram para avaliar as técnicas utilizadas e os resultados obtidos nas áreas que já utilizam o sistema. Assim, ao longo desse ano, os técnicos e as famílias de agricultores que receberem o SAF em suas propriedades irão trabalhar no formato de mutirão para a ampliação e implantação do sistema agroflorestal para outras famílias.

"A iniciativa de levar a equipe para avaliar, na prática, os resultados e desafios da implantação do SAF foi importante para troca de experiência com as famílias produtoras, alinhamento de objetivos e planejamento conjunto das técnicas a serem desenvolvidas junto às comunidades. O retorno obtido estimula ainda mais a equipe a difundir a prática, que traz uma série de benefícios, possibilitando desenvolvimento regional, geração de renda e melhoria de qualidade de vida para as famílias", diz Fausto Camargo, gerente-geral executivo de desenvolvimento social da Suzano.

Camargo explica como a utilização dos SAFs propicia diversas vantagens, segundo ele, a coexistência de mais de uma espécie em uma mesma área melhora a utilização da água e distribuição dos nutrientes. "O sistema favorece a recuperação e fertilidade dos solos e o controle de plantas indesejáveis. Outros ganhos são o melhor aproveitamento da mão de obra, menos custos para implantação de culturas, menor sensibilidade à oscilação de preço no mercado - graças à variedade de produtos –, diminuição da necessidade de insumos externos e mais segurança alimentar para as famílias rurais, com um alimento de melhor qualidade e sem agrotóxicos", explica.

Programa de Desenvolvimento Rural Territorial

O Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT) promove o desenvolvimento local por meio do fortalecimento das associações comunitárias, focando no apoio às cadeias produtivas por meio da capacitação das comunidades. Entre as atividades do programa estão o cultivo do urucum, mandioca, abóbora, hortaliças, legumes e a melhoria do manejo da pecuária leiteira. Iniciado em 2011 em Mato Grosso do Sul, o programa conta com cerca de 1.100 famílias atendidas em quatro municípios do estado.

Já o sistema agroflorestal foi iniciado no final de 2017 em Mato Grosso do Sul e faz parte das ações do Programa de Desenvolvimento Rural Territorial (PDRT). Atualmente 164 famílias de Três Lagoas, Brasilândia, Selvíria e Santa Rita do Pardo já possuem áreas de SAF implantadas. Nas propriedades, é comum ver dezenas de culturas, como banana, mandioca, alface e ipê, dividindo espaço.

Sobre a Suzano

A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 11 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem aproximadamente 37 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Informações via Assessoria de Imprensa Suzano