06/10/2017 10h28

Fibria consolida liderança mundial no mercado de celulose com nova fábrica em Três Lagoas

Previsão para 2018 é que o volume de produção atinja 1,755 milhão de toneladas de celulose

 
Por: Assessoria / Fibria
 
 
Nova fábrica em Três Lagoas tem capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas de celulose de eucalipto. (Foto: Fibria) Nova fábrica em Três Lagoas tem capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas de celulose de eucalipto. (Foto: Fibria)

Publicidade

A Fibria iniciou as operações da sua segunda fábrica em Três Lagoas (MS) e planeja produzir neste ano 377 mil toneladas de celulose, que serão destinadas ao mercado externo. Para 2018, a previsão é que o volume de produção atinja 1,755 milhão de toneladas de celulose/ano, passando para 1,850 milhão de toneladas de celulose produzidas em 2019.

A nova fábrica em Três Lagoas tem capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas de celulose de eucalipto por ano, volume previsto para ser alcançado em 2020. Somando a primeira unidade, a empresa passa a ter a capacidade de produção de 3,25 milhões de toneladas de celulose/ano, o que faz da operação da Fibria no Mato Grosso do Sul uma das maiores fábricas de celulose do mundo. No total, somando todas as suas fábricas, a capacidade de produção da Fibria é de 7,25 milhões de toneladas de celulose por ano.

A construção da segunda linha de produção em Três Lagoas (MS) teve investimento de R$ 7,345 bilhões, o que representa o alto grau de competência da Fibria em execução da obra, gerenciamento de custos, negociação de contratos e ganhos de produtividade.

"Nesse período de pouco mais de dois anos, concluímos a maior fábrica em linha única da atualidade antes do prazo e abaixo do orçamento proposto, o que evidencia o comprometimento de toda a equipe em ganhar produtividade, reduzir custos e fazer sempre o melhor, com segurança e respeito às pessoas e ao meio ambiente. O início da operação da nossa segunda fábrica em Três Lagoas representa o começo de uma nova fase para a companhia, consolidando a nossa liderança no mercado mundial", afirma Marcelo Castelli, presidente da Fibria.

A Fibria buscou soluções diferenciadas e inovou no transporte de madeira da floresta até suas fábricas. A partir de um planejamento estratégico, foi inserido nas operações florestais o transporte via pentatrem.

Trata-se de uma composição com cinco carretas interligadas que permite ganho de 70% no volume de madeira transportada em relação aos caminhões tradicionais e redução de 20% no gasto de combustível por metro cúbico transportado, permitindo diminuir também o custo total de transporte de madeira em 20%.

Até o mês de dezembro, 15 veículos já estarão operando na região de Três Lagoas e a expectativa é de 30 veículos em 2018. Esses veículos só circulam em estradas internas da Fibria, reduzindo o tráfego nas rodovias.

Para escoar a celulose produzida na segunda fábrica da Fibria no Mato Grosso do Sul, foi montada uma logística especial. Neste mês de outubro, a Fibria irá finalizar as obras do Terminal Intermodal localizado no município de Aparecida do Taboado (MS). Com isso, a celulose produzida na linha dois será transportada, via rodoviária, por 160 quilômetros até o Terminal Intermodal, de onde será embarcada em linha ferroviária com bitola larga até o Terminal de Macuco, no Porto de Santos (SP), de onde será exportada.

Envie seu Comentário