16/09/2017 09h50

Aos 85 anos morre o Bispo Emérito da Diocese de Três Lagoas Dom Izidoro Kosinski

Confirmação do falecimento foi anunciada às 20 horas e 15 de sexta-feira (15)

 
Por: Dayane Milani
 
 
(Foto: Campo Grande News) (Foto: Campo Grande News)

Publicidade

Dom Izidoro estava internado há alguns dias no Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba (PR). Já com a saúde debilitada pela idade, o quadro clínico de Dom Izidoro se agravou devido a um acidente ocorrido há alguns anos.

A confirmação do seu falecimento foi anunciada às 20 horas e 15 de ontem, sexta-feira (15) por representantes da Casa da Congregação da Missão São Vicente de Paulo, de Araucária (PR), local onde ele residia desde 2009.

O corpo de Dom Izidoro será sepultado na cidade de Araucária. A missa e exéquias será celebrada neste sábado (16) às 15h na Igreja São Miguel em Tomás Coelho/Araucária – PR. Na sequência, será o sepultamento.

*** Exéquias são ritos e orações com os quais a comunidade cristã acompanha seus mortos e os encomenda a Deus. Em todos os povos e em todos os tempos encontram-se ritos relacionados com os defuntos e com os que choram a morte de algum familiar. Também conhecido por "Ritual de Exéquias".

Vida de humildade, fé, testemunho e lutas

Natural da cidade de Araucária (PR), Dom Izidoro Kosinski foi ordenado Bispo em 24 de julho de 1981 e sua posse na Diocese de Três Lagoas aconteceu no dia 9 de agosto do mesmo ano.

Ele conduziu a diocese durante 27 anos e neste período deixou um importante legado de ensinamentos voltados para os mais humildes e necessitados.

Nas décadas de 80 e 90, essa postura caridosa e justa, custou a Dom Izidoro duras críticas vindas de pessoas que não tinham empatia pelas causas sociais, as quais ele fez valer seu lema de ordenação episcopal: "Evangelizar os Pobres".

Suas batalhas e conquistas sociais eram compartilhadas com toda a comunidade por meio do Jornal Vida Diocesana, periódico impresso que nasceu junto com constituição da Diocese de Três Lagoas com o intuito de manter a transparência nas tomadas de decisões da Igreja e aproximar as pessoas das ações pastorais.

Apesar dos obstáculos, Dom Izidoro sempre se manteve ao lado dos desfavorecidos e batalhou para o repasse de terras na região, pelos direitos dos operários e dos povos indígenas. Nesta última, destaca-se todo o empenho de Dom Izidoro em prol da etnia Ofayé, única tribo deste povo, já registrada, localizada no entorno de Brasilândia (MS).

Aos 77 anos Dom Izidoro Kosinski teve a sua renúncia, por limite de idade, aceita pelo Vaticano. Esse pedido foi uma solicitação própria devido a idade avançada com que se encontrava. Nas vésperas de confiar a Diocese de Três Lagoas ao Dom José Moreira Bastos Neto (25/1/1953 a 26/4/2014), Dom Izidoro dizia ter cumprido a sua missão e que agora, estava pronto para retornar a sua terra natal e descansar.

(Com Assessoria de Imprensa)

 

Envie seu Comentário